Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

hqdefault
No comando: GALPÃO DA 87 FM

Das 06:00 as 08:00

soli
No comando: Raízes Sertanejas com Soli Pacheco

Das 06:00 as 08:30

18034882_10208177925838224_921214136_n
No comando: Amanhecendo com a Tradição com Ângelo da Cruz

Das 06:00 as 08:30

sequencia-programada
No comando: SEQUÊNCIA PROGRAMADA

Das 08:00 as 08:57

Nylcynho Mot@
No comando: SHOW DE BANDAS COM NYLCYNHO MOT@

Das 08:40 as 10:00

osmar
No comando: Conexão 87 com Osmar Conrado

Das 08:40 as 11:00

images
No comando: Despertai Para o Amor com Pe. Ezequiel dal Pozzo

Das 08:59 as 09:04

pp
No comando: Bom Dia Comunidade com Nylcynho Mot@

Das 09:00 as 11:45

tio-miga
No comando: Pátria e Querência com Tio Miga

Das 10:00 as 13:00

No comando: Hora do Nelsinho Duarte

Das 11:00 as 12:00

750da3481bc581b0ae5ef908b0dc8696
No comando: Momento de Oração com Pe. Fernando

Das 11:45 as 12:00

No comando: Geração 80

Das 12:00 as 12:30

No comando: Encontro com Musical Alucinasom

Das 12:00 as 16:00

fix_deixa-rolar
No comando: DEIXA ROLAR

Das 13:00 as 15:00

osmar
No comando: Frequência Livre com Osmar Conrado

Das 13:30 as 17:00

fix_maquina-do-tempo
No comando: MÁQUINA DO TEMPO

Das 15:00 as 17:30

osmar
No comando: Tarde Sertaneja com Osmar Conrado

Das 17:00 as 18:00

download
No comando: Roberto e Meirinho

Das 17:30 as 19:30

750da3481bc581b0ae5ef908b0dc8696
No comando: Oração da Ave Maria com Pe. Fernando

Das 18:00 as 18:15

images
No comando: Canta Sul

Das 18:00 as 20:00

eu-e
No comando: CAMPEREADAS com Angelo Cruz

Das 18:15 as 19:00

download
No comando: A VOZ DO BRASIL

Das 19:00 as 20:00

images
No comando: Encontro com Os Serranos

Das 19:00 as 20:30

No comando: PROGRAMA EVANGÈLICO

Das 20:00 as 22:00

ENTENDA COMO ESTÁ O TRANSPORTE COLETIVO EM SC

Compartilhe:
edadf40e636f486e0e932eb75f568a82-640x400

Especialistas em saúde têm demonstrado preocupação com o retorno do transporte coletivo em Santa Catarina neste momento da pandemia do novo coronavírus. O serviço está suspenso desde 19 de março e a retomada está sendo discutida pelo governo estadual. Entre os principais riscos apontados está o possível aumento de pessoas diagnosticadas com o Covid-19. Até o momento, Santa Catarina tem 3.828 casos, incluindo 73 mortes.

.

Enquanto o governo estadual ainda avalia o retorno do transporte público, nesta quarta-feira (13) os deputados aprovaram na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) um projeto de lei que reconhece o transporte coletivo urbano municipal e intermunicipal como essencial em Santa Catarina, mesmo durante a pandemia.

.

Agora, a proposta segue para o governador Carlos Moisés da Silva (PSL), que adiantou que vai sancionar, mas que será bem delimitado como deve ser esse funcionamento.

.

“Estamos sensíveis a este setor, foi muito afetado, movimenta as cidades, a essencialidade já é subentendida pelo governo, do transporte, obviamente nós sancionaremos. […] Mas, deve passar por portaria específica para funcionar, pois não estamos em condição de normalidade”, afirmou o governador de Santa Catarina na noite de quarta.

.

De acordo com o governador, ainda não há data certa para retomar o serviço, mas o assunto segue sendo debatido. Ainda segundo ele, o retorno, quando houver, será em datas diferentes em cada região catarinense.

.

Essas especificidades para cada região devem ser realmente consideradas, segundo Fabrício Menegon, professor do Departamento de Saúde Pública da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), isso porque a contaminação está sendo de maneira diferente pelo território catarinense.

.

“Há diferentes focos da epidemia, em diferentes regiões do estado. Vide os casos na região Oeste e Sul envolvendo a indústria frigorífica. Esses trabalhadores estão muito expostos e vulneráveis por conta das decisões políticas envolvendo a indústria de alimentos como atividade essencial. Esses surtos ocorrem em tempos diferentes, provocados por dinâmicas e particularidades de cada situação”, exemplifica o epidemiologista.

.

Estudiosos sugerem outras medidas a serem tomadas pela população, empresas e trabalhadores do transporte coletivo e também de transportes individuais. Veja abaixo:

“Em ônibus e micro-ônibus

  • reduzir a lotação a no máximo 50% e se possível com um passageiro por banco e fileiras alternadas;
  • apoio dos sindicatos para conscientizar os motoristas e cobradores a fiscalizar o fluxo de passageiros;
  • higienização a cada etapa da viagem (mais rigorosa) ou a cada intervalo de tempo pré determinado (menos rigorosa).
  • controle da temperatura das pessoas que vão entrar dentro do ônibus;
  • obrigação das janelas abertas ou alguma forma de ventilação que renove o ar dentro do ônibus.

Deixe seu comentário: